Notícias
Atualizado em:

EMPODERAMENTO FEMININO: CASAMENTO NÃO É PRISÃO!

Compartilhar nas Redes Sociais


Mulher executiva, em representação ao empoderamento feminino ao telefone.

O empoderamento feminino já é uma realidade. Sob essa ótica, a mola propulsora é a liberdade e a inserção da mulher no mercado de trabalho.

Nesse sentido, nota-se que a mulher atualmente possui maior autonomia. Liberdade de expressão, suas ideias, posicionamentos e até mesmo seu corpo, outrora sufocados, encontram-se hoje na autonomia da mulher.

Dessarte, assim como o empoderamento feminino, a valorização da mulher na sociedade brasileira é fato notório. Entretanto, apesar de várias batalhas ganhas, a cultura machista ainda se encontra enraizada.

A ideia de sexo frágil ainda permeia o subconsciente da sociedade. Especialmente no Brasil, imagina-se que a mulher deve ser submissa ao homem, seja pai ou marido.  Até mesmo involuntariamente essa cultura misógina ainda vive.

A cultura machista está associada apenas aos homens?

O que pode parecer óbvio, na verdade não é. O que observa-se com frequência em nossa sociedade, é que não só aos homens se associa a cultura machista. Nesse ponto de vista, as próprias mulheres têm atitudes que levam ao preconceito e ao reforço da cultura machista.

O empoderamento feminino foi durante muito tempo boicotado pelas próprias mulheres, através da crença no patriarcalismo. Desse modo, era absorvido e internalizado todo o discurso negativo sobre a mulher.

A mulher que não trabalha, e cujo marido é a fonte de renda da família está mais suscetível à submissão. Porém, com o empoderamento feminino esse tipo relacionamento está ficando mais raro.

Dependência financeira é a algema que prende a mulher em relacionamento abusivo?

Com certeza esse é um dos principais motivos de se manter um relacionamento abusivo, principalmente quando a mulher está desempregada e possui filhos.

Existem muitos casos em que a mulher de tanto ouvir do companheiro que é incapaz de se manter, assimilam aquilo como verdade. Dessa forma, aceita o que ouve e preferem ter um relacionamento abusivo em vez de tentar um lugar no mercado de trabalho.

Outra situação corriqueira ocorre quando a mulher é de classe social elevada e não possui renda suficiente para manter o mesmo padrão depois do divórcio. O receio de abdicar do luxo e não ter condições de manter o padrão faz com que permaneçam presas em um relacionamento indesejado.

A carta de alforria da mulher é a sua inserção no mercado de trabalho. Certamente com a criação da lei do divórcio, também se soltaram mais amarras, pois a partir daí ficou livre para decidir seu destino.

É preciso que haja a consciência de que é possível, sim, extinguir o vínculo conjugal sem a permissão de qualquer outra pessoa, sequer do próprio marido. É um direito que não admite contestação.

Como surgiu o empoderamento feminino?

Sabe-se que o empoderamento feminino é um termo que vem ganhando visibilidade nos últimos anos. Surgiu com o encorajamento das mulheres para luta e conquista de posições de liderança na sociedade.

Outrora, as mulheres brasileiras não tinham espaço para demonstrar seu valor, hoje elas provaram que são capazes de realizar trabalhos antes dominados por homens.

Assim, mesmo vivendo numa sociedade machista e discriminatória, a mulher conseguiu o seu lugar de destaque no campo profissional, se tornou empoderada.

Logo, a partir do momento em que a mulher conheceu os seus direitos e lutou por eles, se tornou uma pessoa empoderada. Na medida em que alguém conhece seus direitos, não é tarefa fácil deixar essa pessoa submissa.

Quais são as Consequências do empoderamento feminino?

Com o empoderamento feminino as mulheres ganharam poder interior para se expressar. Da mesma forma, defender os seus direitos, ampliar sua autoestima e garantir o seu poder de decisão.

Não há duvidas que o empoderamento feminino fortalece a identidade da mulher. Além  disso. amplia suas relações pessoais e sociais, eleva sua autoconfiança e tem impacto positivo em seu convívio.

Outrossim, o empoderamento das mulheres resulta em sociedade mais justa, com igualdade entre o homem e a mulher, mesmos direitos e oportunidades.

Também acontecimento importante acerca do empoderamento feminino foi a diminuição das barreiras que impediam a ascensão profissional feminina. Pode-se afirmar que, recentemente, os empecilhos para o alcance pelo sexo feminino de cargos de chefia e liderança têm diminuído.

Nesse sentido, a guinada no papel social da mulher impacta em diversas áreas. Isso se reflete não apenas nas relações de trabalhos, mas fundamentalmente no relacionamento com os homens de modo geral.

Por fim, ainda é difícil para os homens reconhecerem o espaço da mulher, onde antes reinavam de forma absoluta. Cabe à mulher assumir um lugar diferente na sociedade, dando voz ativa a seu senso crítico.


+ LEIA TAMBÉM:


Se você possui interesse em falar diretamente com um especialista, clique aqui.

Clique no botão abaixo e descubra tudo sobre o divórcio humanizado

pensão alimentícia

Material explicando Divórcio Humanizado

VOLTAR

Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 08:00h às 12:00h - 14:00h às 18:00h